You are currently viewing Caminho Português a partir Lisboa pela costa

Caminho Português a partir de Lisboa pela costa

Peça-nos uma cotação

    ✅ 

    A experiência do Caminho de Santiago é algo que deve ser vivido pelo menos uma vez na vida.

    Entre as rotas jacobeias mais populares, o Caminho Português desde Lisboa pela Costa é um clássico entre os peregrinos, tanto para aqueles que se aventuram na jornada pela primeira vez quanto para os mais experientes.

    Durante as 27 etapas e os cerca de 645 quilômetros de distância que compõem o itinerário, você poderá descobrir lugares tão bonitos como as planícies da antiga província portuguesa de Ribatejo, a Beira Litoral ou as regiões naturais do Douro Litoral e Minho.

    Uma vez em Porto, você continuará pela bela costa portuguesa até chegar à Galícia, mais especificamente à área de Vigo, nas Rías Baixas.

    Após a etapa de Vigo – Redondela, você continuará pelo Caminho Português Central de Santiago até chegar ao seu objetivo, Santiago de Compostela.

    Sabemos que você quer aproveitar ao máximo o Caminho Português desde Lisboa pela costa, por isso organizamos tudo para você. O que você diz? Você está dentro?

    A Partir de 1410€
    • 🛌28 Noites
    • 🥾 27 Etapas
    • 🍂 645 KM

    O que inclui se contratarmos o itinerário?

    • Alojamento.
    • Transporte de mochilas.
    • Documentaçao.
    • Seguro de viagem.
    • Serviço de assistência telefónica 24 horas por dia (emergências).

    Peça-nos uma cotação

      Etapas

      A tua aventura começará em Lisboa, a capital portuguesa dos elétricos amarelos, uma das cidades mais encantadoras do país.

      Em Lisboa, podes relaxar perto do mar ou passear pelas suas estreitas ruas de pedra e desfrutar das suas praças movimentadas, seja a pé ou a bordo de um dos tradicionais elétricos.

      Podes visitar o Castelo de São Jorge ou ir até Belém para ver o seu Mosteiro ou a Torre de Belém, ambos declarados Património Mundial pela UNESCO.

      Esta etapa inaugural até Alhandra tem 37 quilômetros, um itinerário extenso mas que não apresenta grandes dificuldades.

      Logo após deixar Lisboa para trás, vamos entrar no chamado Caminho do Tejo, uma rota clássica de peregrinação para Fátima.

      Para aqueles que preferem encurtar o trajeto, a localidade de Alpriate dispõe de vários albergues para peregrinos.

      Entre estradas de terra e caminhos asfaltados, quase 24 quilômetros separam Alhandra de Azambuja nesta segunda etapa do Caminho de Santiago Português pela costa desde Lisboa.

      O itinerário segue paralelo à linha férrea e à autoestrada próxima, passando por Vila Franca de Xira, Carregado e Vila Nova da Rainha.

      Uma vez em Azambuja, conheceremos um dos símbolos mais representativos desta vila, a igreja de Nossa Senhora da Assunção.

      Neste ponto da rota, também é interessante visitar a Vila Museu do Vinho, para conhecer de perto a tradição vinícola, bem como a Vila Quinta de Vale de Fornos, uma das vinícolas mais antigas de toda a região.

      A terceira etapa nos levará à bela cidade de Santarém, conhecida popularmente como a capital do gótico português.

      Esta cidade também possui um precioso centro histórico, numerosos monumentos e igrejas, bem como vários museus de interesse.

      Durante a parte inicial do percurso desde Azambuja, o rio Tejo será nosso guia até chegarmos à área de Porto Muge.

      A partir deste ponto, os últimos 16 km da jornada avançam por um longo trecho sem serviços ou povoações, entre campos de cultivo, sem sombra ou vegetação.

      Nesta etapa desde Santarém, o rio Tejo volta a ser um dos principais elementos que guiam este longo percurso de mais de 30 km.

      Seguindo a margem do rio a certa distância, passando por Pombalinho, alcançaremos a estrada nacional até Golegã, onde tudo gira em torno do mundo equestre.

      A localidade de Golegã é famosa por ser a cidade natal do escritor e jornalista José Saramago, mas principalmente por ser a sede da Feira Nacional do Cavalo.

      Nesta quinta etapa entre Golegã e Tomar, o desnível do caminho começa a tornar-se mais pronunciado.

      Tomar é conhecida como a cidade histórica dos templários. Antigamente, esta vila foi sede da Ordem do Templo, tornando seu grande castelo e o Convento de Cristo, localizado em seu interior e declarado Patrimônio Mundial pela UNESCO, uma visita mais do que obrigatória.

      Também valem a pena visitar a ermida de Nossa Senhora da Conceição, a igreja de São João Batista e o Parque de Mouchão.

      Entre Tomar e Alvaiázere, a capital do feijão-frade, estendem-se cerca de 32 km de trilhas com grandes desníveis e paisagens em constante mudança.

      A etapa inicial de Tomar avança por um belo caminho ao longo da margem do rio Nabão, continuando por pastagens com sobreiros, oliveiras e pinheiros.

      Essas antigas trilhas entre os dois pontos estão salpicadas de vestígios medievais e romanos ao longo de todo o caminho.

      Uma das áreas mais destacadas deste percurso é a Ponte de Peniche, uma antiga calçada que ligava Tomar a Coimbra.

      Também nesta etapa destaca-se o complexo megalítico de Antas do Ramalhal, já em Alvaiázere.

      Nesta longa jornada, partindo de Alvaiázere, seguiremos o caminho pela antiga calçada romana em direção à vila de Ansião.

      Neste ponto, localizado no meio da etapa, poderemos desfrutar de uma visita ao complexo monumental defensivo de Santiago da Guarda.

      Em seguida, avançaremos até Rabaçal, onde nos esperam as ruínas de seu majestoso castelo de Germanelo.

      No campo gastronômico, esta localidade é conhecida por seu famoso queijo, produzido em pequenas queijarias familiares a partir da mistura de leite de cabra e ovelha.

      Os peregrinos que preferirem podem encurtar parte da sétima etapa do Caminho Português passando a noite na vila de Alvorge ou até mesmo em Ansião.

      Após passar a noite em Rabaçal, o dia de hoje se apresenta um pouco mais curto do que os anteriores.

      Neste ponto, o caminho passa por áreas bastante urbanizadas e com desníveis frequentes, passando por lugares como Cernache ou Condeixa a Velha, onde podemos contemplar a antiga cidade romana de Conímbriga.

      O percurso final nos leva até Coimbra, cidade Patrimônio Mundial da UNESCO e primeira capital do reino português após a independência de Leão em 1139.

      Casas senhoriais, belas igrejas, sua famosa universidade e a Catedral Sé Velha, entre outros, recebem o peregrino em seu primeiro contato com esta pequena e turística cidade.

      Nesta nona etapa desde Coimbra, o rio Mondego marcará os primeiros passos em direção a Mealhada.

      Embora esteja um pouco afastada do Caminho de Santiago Português pela costa desde Lisboa, a Mata do Buçaco, mais conhecida como a floresta encantada do país luso, é um lugar interessante para visitar nesta parte.

      Neste conjunto arquitetônico, botânico e paisagístico está localizado o Palácio Real, último legado dos Reis de Portugal.

      Os últimos passos do itinerário nos levam até Mealhada, cidade cujas origens remontam ao Império Romano. Isso é evidenciado pelo seu marco Miliário do Século I, um marco de calcário em que ainda são visíveis algumas inscrições.

      Entre Mealhada e Águeda, o Caminho Português de Santiago transforma sua paisagem entre áreas urbanas, semiurbanas e industriais.

      Dos 25 km que separam essas duas localidades, a maioria passa por áreas de asfalto e parques industriais.

      Também nesta etapa, passaremos pelas cidades de Aguim, Anadia e Avelas do Caminho. E já em Águeda, banhada por um rio com o mesmo nome, podemos apreciar sua arte urbana (a cidade mais colorida de Portugal) e o maior lago natural da Península Ibérica: A Pateira de Fermentelos.

      Durante o verão, o projeto Umbrella Sky Project enfeita as ruas do centro de Águeda com milhares de guarda-chuvas multicoloridos.

      Com pouco mais de 15 km, o percurso entre Águeda e Albergaria A Velha representa uma etapa de transição no Caminho Português de Santiago desde Lisboa.

      Apesar do trajeto curto, em comparação com as etapas anteriores, passaremos por áreas muito interessantes entre densas florestas de eucaliptos, como uma chamativa ponte medieval, ou as aldeias de Mourisca do Vouga e Lamas do Vouga, onde se destacam vários palacetes do século XIX.

      Uma vez em Albergaria A Velha, os peregrinos poderão desfrutar do interessante patrimônio cultural e artístico que envolve a cidade.

      Neste ponto da aventura, recomendamos visitar a Casa de Santo António, um edifício barroco do século XVIII; as mamoa de Albergaria, ou a Pateira de Frossos, um ecossistema natural formado por vários pântanos onde habita uma grande variedade de aves.

      A etapa entre Albergaria A Velha e Oliveira de Azeméis representa um novo percurso curto e sem grandes dificuldades para os peregrinos.

      Este agradável itinerário avança pela antiga senda medieval ao passar por Albergaria A Nova e Bemposta, onde o percurso se torna mais urbano.

      Em seguida, teremos que atravessar a ponte do Senhor da Pedra para chegar ao final da etapa na localidade de Oliveira de Azeméis. Na lista de visitas obrigatórias está o romântico Santuário e Parque de Nossa Senhora de La Salette, um monumento histórico e natural.

      Nesta etapa da rota jacobea até Grijó, o asfalto volta a dominar a maior parte do itinerário.

      Além disso, a história envolve o Caminho Português de Santiago neste percurso, em lugares como Cucujães e seu característico Mosteiro de São Martinho.

      É importante destacar que a localidade de Grijó, ponto final desta etapa, possui apenas um albergue para peregrinos, então a melhor opção para passar a noite será se deslocar até Vila Nova de Gaia.

      Além disso, por se tratar novamente de uma etapa bastante longa, aqueles que desejarem podem encurtar o percurso pernoitando em localidades como Arrifama ou Lourosa.

      Estamos novamente diante de uma etapa curta de transição para alcançar a bela cidade do Porto, também declarada Patrimônio Mundial.

      No entanto, esta também é uma das rotas mais emblemáticas do Caminho Português de Santiago.

      Apenas 15 km separam as duas localidades, e um dos trechos mais destacados é a antiga calçada romana Via XVI do itinerário Antonino, uma imagem idílica envolta por paredes de pedra e bosques de sobreiros e eucaliptos.

      Depois, a Ponte D. Luís sobre o rio Douro marca a entrada na cidade do vinho, com seus bairros elegantes, vilas senhoriais e ruas mágicas.

      Em suma, um lugar para explorar e descobrir com calma, especialmente quando se trata do seu centro histórico.

      Nesta jornada, partiremos da cidade do Porto em direção à vila de Labruge, localizada a pouco mais de 20 km.

      Esta é a primeira etapa pela costa do Caminho Português de Santiago desde Lisboa, o percurso segue sempre junto à costa e à margem do rio Douro, por trajetos com pouca dificuldade e com vistas oníricas para o oceano Atlântico.

      Ao longo do itinerário costeiro, destacam-se lugares como o Farol de São Miguel, classificado como Patrimônio de Interesse Público e considerado o primeiro edifício puramente renascentista de Portugal.

      Também o Castelo de São João Batista, o Castelo do Queijo, ou as regiões de Matosinhos e Leça da Palmeira constituem pontos de interesse no percurso.

      Esta nova etapa do Caminho Português de Santiago pela costa nos aproxima da cidade de Póvoa de Varzim, reconhecida por suas praias e gastronomia.

      Trata-se de um itinerário curto e simples, já que apenas 14 km separam os dois destinos.

      Durante o percurso desta jornada, passaremos por lugares de interesse como o Castro de Sampaio e as ruínas de uma antiga povoação da Idade do Ferro, assim como a Reserva Ornitológica de Mindelo; a igreja de Santa Maria de Azurara, datada do século XVI e próxima à margem do rio Ave, ou a bonita cidade de Vila do Conde, entre outros.

      Nesta jornada entre Póvoa de Varzim e Marinhas, atravessaremos trechos paisagísticos muito diversos, desde bonitos passeios marítimos, passadiços de madeira e praias até outras áreas mais interiores ao longo da estrada.

      Um dos elementos mais destacados do percurso é o Farol de Esposende, um dos poucos exemplos de faróis de estrutura metálica no país luso.

      Também é interessante o Forte de São João Baptista de Esposende, uma grande fortaleza construída entre 1699 e 1704 em Marinhas, durante o reinado de Pedro II de Portugal.

      A etapa entre Marinhas e Viana do Castelo destaca-se dos outros itinerários ao longo da costa, direcionando-nos neste dia para os vales dos rios Neiva e Lima, passando por alguns dos cenários mais bonitos de todo o caminho.

      Os principais pontos de interesse histórico e cultural desta etapa encontram-se na monumental cidade de Viana do Castelo.

      Antes de entrar neste destino, uma paragem obrigatória é no antigo Mosteiro Beneditino de São Romão de Neiva, datado do século XI e reconstruído ao longo do século XVII.

      Já em Viana do Castelo, a Ponte Eiffel sobre o rio Lima, a Praça da República e sua grande fonte, a Casa das Varandas, a catedral gótica ou a biblioteca municipal, bem como o monte de Santa Luzia ou a Basílica do Sagrado Coração são pontos de visita obrigatória neste final de etapa.

      Nesta décima nona etapa entre Viana do Castelo e Caminha, chegaremos à fronteira de Portugal com a Espanha, na altura da Galícia, após percorrer cerca de 26,8 km.

      No início da jornada, teremos que decidir entre seguir o traçado oficial ou desviar ligeiramente para a costa para continuar o itinerário com vistas para o Oceano Atlântico.

      Em ambos os traçados, o destino final da etapa será na bela vila piscatória de Caminha, onde se destaca a Torre do Relógio, a única porta que resta da antiga muralha medieval.

      Outros pontos de interesse incluem a Igreja da Misericórdia, com uma fachada renascentista e interior barroco; ou a igreja matriz de Nossa Senhora da Assunção.

      Na jornada de hoje do Caminho de Santiago Português pela Costa desde Lisboa, após cruzarmos o rio Minho, finalmente adentraremos no território galego. Nesta etapa, a saída de Caminha será feita por meio de uma curta travessia no barco de peregrinos “Xacobeo Transfer” (o bilhete custa 6 euros por pessoa, com um suplemento de 2 euros em caso de transporte de bicicletas).

      Neste ponto, as paisagens selvagens e agrestes do litoral galego presenteiam o peregrino com vistas maravilhosas das Rías Baixas.

      No caminho para Mougás, encontraremos vários lugares de grande interesse, como o monte de Santa Tegra e seu castro originário do século IV a.C; a vila piscatória de A Guarda e seu legado histórico-indiano; ou o imponente mosteiro de Santa María de Oia, situado junto ao mar e construído por volta do século XII.

      Na etapa entre Mougás e Ramallosa, vamos caminhar por belas paisagens marítimas e montanhosas ao longo de cerca de 16 quilômetros. Nesta etapa, também passaremos pelos municípios de Oia, Baiona e Nigrán.

      Durante este percurso, teremos a oportunidade de descobrir a cidade de Baiona e explorar todo o seu centro histórico (declarado Conjunto de Interesse Histórico Artístico).

      Também é interessante fazer uma parada no Castelo de Monterreal ou na réplica da caravela La Pinta e seu museu flutuante. Depois de deixarmos para trás este município turístico, alguns pontos de interesse da etapa incluem a Ponte Românica, que separa Baiona e Nigrán e dá lugar a uma grande marisma; bem como a igreja e o pazo de Cadaval na paróquia de Santa Cristina de A Ramallosa.

      Esta etapa entre Ramallosa e Vigo é mais uma das que oferece duas alternativas para continuar com o histórico Caminho de Santiago Português.

      No início do dia, após cruzar a ponte românica de A Ramallosa, teremos que escolher entre seguir o percurso oficial com setas amarelas ou tomar um desvio à esquerda e seguir pela rota litorânea, indicada com setas verdes.

      Nesta variante costeira, passaremos pelas belas praias da cidade de Vigo, sempre com vista para as Ilhas Cíes. Ao alcançar o final da etapa, em Vigo, poderemos percorrer suas ruas centrais, praças e símbolos, como a Porta do Sol, o Sireno ou a escultura vegetal do Dinoseto.

      Uma orografia suave e poucos declives caracterizam o percurso de cerca de 23,3 km que separam Vigo e Redondela. Além disso, esta é a última etapa do Caminho de Santiago Português pela costa, antes de se conectar novamente com o Caminho Português Central que havíamos deixado para trás em Oporto.

      Antes de chegar a Redondela, é aconselhável fazer uma parada na igreja de San Andrés de Cedeira, uma bela igreja barroca de cruz latina datada do século XVIII.

      Ao chegar ao destino final da jornada, nossa visita nos levará ao convento de Vilavella, aos Jardins Alameda e à Casa de la Torre, bem como ao viaduto de Pedro Floriani, também conhecido como viaduto Madrid-Redondela.

      Nesta jornada de caráter semiurbano, partiremos de Redondela seguindo o traçado da antiga calçada romana via XIX, que ligava Braga a Lugo e Astorga. No total, são quase 20 quilômetros para alcançar a cidade milenar de Pontevedra, um verdadeiro paraíso para os pedestres.

      Na entrada de Boa Vila destaca-se o caminho ribeirinho do rio Gafos e já no interior da localidade, a igreja da Virgem Peregrina e a Basílica de Santa María la Mayor representam duas das joias históricas e arquitetônicas mais importantes da região.

      O centro histórico de Pontevedra, entre praças e vielas, merece ser percorrido com calma.

      Deixamos para trás a histórica cidade de Pontevedra para nos adentrarmos no interior da província, até alcançarmos a vila termal de Caldas de Reis.

      Antes de chegarmos ao final da etapa, neste trecho do Caminho de Santiago, podemos fazer um pequeno desvio, de cerca de 200 metros, para visitar o Parque Natural da Ría Barosa, um belo conjunto de cascatas e moinhos de água.

      Em Caldas de Reis, destacamos a ponte romana sobre o rio Bermaña, a Fonte das Burgas, o lavadouro público de águas termais e a Praza das Palmeras, onde se encontra a igreja de Santo Tomás Becket, o único templo dedicado a este santo em toda a Galiza.

      Nesta penúltima jornada do Caminho de Santiago Português desde Lisboa pela costa, mudaremos de província em Pontecesures, ao cruzar a ponte romana sobre o rio Ulla.

      No percurso desde Caldas de Reis, avançaremos entre paisagens boscosas e pequenas aldeias de essência jacobea.

      Um dos lugares de maior tradição é Padrón, uma localidade famosa pelos seus pimentos (originários da aldeia de Herbón) e de um elevado interesse cultural.

      Destaca-se neste município a igreja de Santiago de Padrón, um templo neoclássico que conserva sob o seu altar-mor a relíquia do Pedrón, a rocha que segundo conta a lenda sustentou a barca que trouxe o Apóstolo à Galiza.

      Nesta última jornada do Caminho de Santiago Português, quase 25 km separam Padrón de Santiago de Compostela, a última etapa e a mais especial desta grande experiência desde Lisboa.

      Antes de avançar para Santiago de Compostela, faremos um desvio para Iria Flavia para ver sua bela colegiada, considerada a primeira catedral galega; assim como o cemitério de Adina, onde repousa o Prêmio Nobel Camilo José Cela.

      Após passar pelos municípios de Teo e Ames, e alcançar Milladoiro, onde os antigos peregrinos já podiam avistar os sinos da catedral de Santiago, avançaremos para a imponente Plaza del Obradoiro para encerrar a aventura do Caminho de Santiago Português desde Lisboa pela costa.

      Objetivo alcançado!

      Serviços Opcionais

      • Suplemento para quarto individual.
      • O café da manhã.
      • Jantar.
      • Transferência para o ponto de partida.
      • Transferência para o aeroporto.
      Perguntas mais freqüentes

      Há dois itinerários principais no Caminho Português: o Caminho Português Central, que parte de Lisboa, e o Caminho Português da Costa, que começa em Porto ou em outras cidades costeiras a norte. O Caminho Português Central parte de Lisboa e passa por cidades como Santarém, Tomar, Coimbra e Porto antes de chegar a Santiago de Compostela, na Espanha.

      O Caminho Português de Santiago partindo de Lisboa, é composto por aproximadamente 27 etapas, dependendo da rota específica que você escolher e das distâncias que deseja percorrer a cada dia. Essas etapas variam em distância e dificuldade, e muitos peregrinos optam por dividir o caminho em etapas que variam de 15 a 30 quilômetros por dia, dependendo do seu ritmo e preparo físico. 

      Você também pode estar interessado em

      Outros Caminhos relacionados